Como reduzir a inadimplência no condomínio? Confira 8 dicas.

como reduzir a inadimplência no condomínio
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

A inadimplência no condomínio é um problema que se agrava e de difícil solução na administração condominial. Cada vez mais, é um verdadeiro pesadelo para o síndico, pois o problema é geralmente causado por fatores externos. Estão fora da sua alçada.

Pandemia, crise econômica, redução de salários. Esses foram alguns fatores que causaram um aumento significativo na taxa de inadimplência condominial por todo o país.

Porém, mesmo sendo um problema externo, neste artigo vamos dar algumas dicas do que fazer para se reduzir a inadimplência no condomínio.

São dicas práticas, que veem se provando bastante eficazes.

Consequências da inadimplência para o condomínio

Em outro artigo, falamos que as [principais consequências da inadimplência] para o condomínio são:

  1. O condomínio fica com déficit de verba e, se não tiver um fundo de reserva, entra no vermelho;
  2. Os demais condôminos são obrigados a pagar cotas extras;
  3. O síndico tem que encontrar formas de gerenciar a crise, podendo, inclusive, propor ações judiciais [que geram mais gastos].

Porém, a partir de agora vamos ver algumas medidas práticas e eficazes para ajudar você, síndico, a reduzir a inadimplência condominial.

Como reduzir a inadimplência no condomínio?

1.    Tenha um fundo de reserva

Sabemos que nem sempre sobra dinheiro no condomínio, mas é importante que o condomínio tenha uma reserva.

Assim como uma empresa, um condomínio também precisa ter uma conta extra para cobrir despesas como consertos e situações emergenciais.

2.    Mantenha as finanças do condomínio organizadas

É função do síndico manter as finanças organizadas e detectar logo a inadimplência.

Sobretudo, para evitar que ela cresça e se transforme em um problema ainda maior.

Um atraso pontual no pagamento da cota mensal pode não ser um problema para as contas do condômino. Entretanto, se escalar rapidamente vira algo pior.

O síndico deve usar ferramentas para gerir bem as cotas condominiais. Um exemplo disso é o recurso de controle financeiro disponível no portal/App da Habitacional.

Nele há uma série de ferramentas que melhoram a gestão das finanças do condomínio, garantindo eficácia, autonomia e transparência nas ações do síndico.

Conheça o recurso de controle de contas on-line e veja como ela facilita o seu dia a dia.

3.    Mantenha as portas abertas e o diálogo com os condôminos

Isso varia bastante conforme o perfil do síndico e do devedor, que muitas vezes não dá abertura para essa aproximação.

Mas, uma excelente opção é ter uma boa conversa. Até mesmo, traçar uma estratégia junto ao morador para evitar que a dívida aumente.

Juntos, é mais fácil encontrar uma solução boa para ambos.

4.    Campanha de conscientização entre os moradores

Se as conversas ficam difíceis, opte por uma campanha coletiva. Você pode fazer panfletos e colocar nos quadros de aviso, enviar e-mails aos moradores, mensagens.

Utilize o recurso de comunicados do nosso App. Ele facilita muito essa interação.

O objetivo é sempre explicar a importância de manter as contas do condomínio em dia. Aproveite e explique o que acontece quando algum morador deixa de pagar sua cota.

5.    Não deixe as dívidas acumularem

Quanto mais as dívidas dos condôminos acumulam, pior fica a situação do condomínio.

Por isso, é importante que o síndico tenha uma postura proativa no sentido de resolver o problema, sem deixar que se transforme em uma bola de neve.

6.    Notifique os devedores

Notifique oficialmente os devedores de que eles estão em débito com o condomínio.

Esse é o primeiro passo para evitar medidas ainda mais drásticas, como inscrição em cadastro de inadimplentes e propositura de ação judicial.

7.    Busque ajuda profissional

Caso a inadimplência persista, você precisará buscar ajuda profissional. Seja de uma empresa de cobrança ou um escritório de advocacia.

Contudo, isso representa um gasto extra para o condomínio. Porém, em alguns casos, é preciso gastar dinheiro para poder fazer dinheiro.

A sua administradora pode orientá-lo na melhor opção a ser tomada.

8.    Certifique-se de que o condomínio tenha regras

Antes de adotar as duas medidas anteriores, é aconselhável que você, síndico, verifique se a Convenção do Condomínio estabelece regras para notificações extrajudiciais e cobranças judiciais.

Caso tais regras ainda não existam, convoque uma reunião com os moradores para estabelece-las.

Melhores maneiras de lidar com o condômino inadimplente

Ainda que o morador esteja em atraso com suas obrigações com o condomínio, ele não pode ser exposto às situações constrangedoras.

Nem às situações que deem margens aos outros moradores e colaboradores trata-lo de maneira discriminatória.

Por isso algumas dicas importantes do que você, como síndico, não deve fazer:

  • Colocar uma lista de inadimplentes no quadro de avisos do condomínio ou no grupo de aplicativo;
  • Não estar disponível para o condômino que tentar buscar uma solução ou negociar sua dívida.

Lembre-se que as medidas que expõem o inadimplente podem gerar, inclusive, uma indenização por danos morais, o que só irá piorar a situação. Importante, não esqueça que o mais importante é receber os valores em atraso, ainda que de forma parcelada.

Está gostando do nosso conteúdo? Compartilhe!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors

Redes Sociais

Posts recentes

Siga-nos